Você está em: Notícias Gospel // Pastor Augustus Nicodemus critica aproximação da mídia secular com evangélicos

Pastor Augustus Nicodemus critica aproximação da mídia secular com evangélicos

augustus-nicodemusO pastor Augustus Nicodemus publicou recentemente em sua página no Facebook um texto no qual comenta a crescente aproximação dos meios de comunicação “seculares” com as igrejas e o público evangélico. Em seu texto, Nicodemus rebate, principalmente, o uso do texto bíblico de Filipenses 1:18 como forma de justificar “qualquer meio” como forma de pregar o evangelho.

No texto, Nicodemus faz uma análise do teto bíblico citado em resposta a um amigo que, segundo ele, o questionou se tal passagem bíblica não justificaria a realização do “show gospel”.

– Um amigo no Twitter me perguntou se Filipenses 1:18 não justificaria o show gospel. Acho que ele tinha em mente o festival gospel na Globo e a hipotética novela da Globo com uma heroína evangélica e as apresentações de cantores gospel em programas seculares – diz o pastor no início de seu texto, no qual afirma que tal passagem bíblia é usada fora de contexto, pra justificar tais práticas.

Fazendo uma análise do contexto histórico da afirmação do apóstolo Paulo em sua carta aos filipenses, quando ele diz “Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei” – o pastor explica que Paulo não estava, nesse texto, justificando o uso indiscriminado de qualquer método para supostamente falar de Jesus, nem tampouco eximindo de culpa aqueles que o fazem por motivações desonestas.

Segundo o pastor, ao fazer tal afirmação, Paulo estava se referindo àqueles que “no propósito de matá-lo, terminavam anunciando o Evangelho de Cristo aos magistrados e autoridades romanos”.

– Quando os judeus que acusavam Paulo eram convocados diante das autoridades romanas para explicar estas acusações que traziam contra ele, eles diziam alguma coisa parecida com isto: “Senhor juiz, este homem Paulo vem espalhando por todo lugar que este Jesus de Nazaré é o Filho de Deus, que nasceu de uma virgem, que morreu pelos nossos pecados e ressuscitou ao terceiro dia, e que está assentado à direita de Deus, tendo se tornado Senhor de tudo e de todos. Diz também que este Senhor perdoa e salva todos aqueles que creem nele, sem as obras da lei. Senhor juiz, isto é um ataque direto ao imperador, pois somente César é Senhor. Este homem é digno de morte!” – explica Nicodemus.

– Disto aqui vai uma looooonga distância em tentar usar esta passagem para justificar que cristãos, num país onde são livres para pregar, usem de estratégias no mínimo polêmicas para anunciar a Cristo. Tenho certeza que Paulo jamais se regozijaria com isto (sic) – completa.

Augustus Nicodemus cita ainda outros trechos da Bíblia, em que Paulo condena o uso de “métodos questionáveis” como forma de pregação – como em 2Co 2:17, 2Co 4:1-2 e 1Co 2:1-5 – e finaliza seu texto afirmando que “usar Filipenses 1:18 para justificar que qualquer estratégia serve para anunciar o Evangelho é usar texto fora do contexto como pretexto”.

Share Button