Você está em: Artigos, Colunistas, Luiz Soper // Ser cristão – Reflexão

Ser cristão – Reflexão

ser-cristao-e

 

Estamos enfrentando dias de muita violência e de muitas incertezas de como será nosso futuro a curto, médio e longo prazo. A impressão que temos é que tudo só piora e não há mais alternativas a serem exploradas para que tudo se resolva.

O mundo se choca cada vez mais com atentados terroristas, guerras, disputas de poder, política corrupta, desmoralização social, desvalorização humana e tudo mais…

A humanidade não sabe mais o que fazer, tampouco em quem pode confiar. O policial que era para ser um exemplo de segurança e cumpridor da lei, acaba sendo nossa maior vergonha em alguns episódios. O político que deveria representar o povo e fazer com que o mesmo tenha uma forma de vida melhor e digna, cada vez decepciona mais e nos trai por dinheiro, que somos nós mesmos que provemos a eles, enfim, o que de fato ocorre em nosso mundo atual, é que cada vez mais passamos a viver sem rumo, sem objetivo e o mais triste de tudo isso, sem valor.

O nosso valor humano começa nos nossos valores e princípios passados pelos nossos avós e pais durante nosso desenvolvimento como pessoas civilizadas e cidadãos do mundo. Valores que em muitas vezes são simples, mas que fizeram a diferença por séculos e que parece que está sendo tudo jogado no lixo. Em se tratando de sermos brasileiros, mais ainda, pois o Brasil infelizmente é um país atrasadíssimo em muitos assuntos como saúde, educação, dentre outras áreas.

Nos tempos de hoje como ser um cristão? Como agir de forma coerente e correta diante de tantas situações difíceis e que desestabilizam nosso psicológico, nosso emocional? Como ser um “seguidor de Cristo” nas horas complicadas? A cada dia que passa, assistimos a humanidade sendo destruída covardemente por tudo e por todos. Vejo pessoas que se dizem “cristãs” praticando atos e sendo cúmplices de muitas atitudes e “frentes” ou “movimentos” equivocados. Talvez não exista uma resposta mais certa a ser dada, do que esta: O que Jesus faria? Pensaria? Como agiria? O que nos diria?

A palavra “crente” é muito vaga, mas a palavra “cristão” é muito forte e poderosa, pois crente qualquer pessoa é, crente de que a vida melhorará, crente de que vai ganhar um prêmio, mas cristão, ah meus caros leitores e leitoras, ser cristão é algo muito maior que ser crente. A palavra “cristão” significa duas coisas: Seguidor de Cristo ou Pequeno Cristo. Portanto, convido a vocês para que possamos avaliar bem nossas vidas, se estamos realmente sendo seguidores e pequenos Cristos, ou se não passamos de meros crentes.

É uma resposta que talvez, ultrapasse nossos limites de conhecimento, pois a Bíblia relata que enquanto a nossa cultura era de apedrejar uma mulher promíscua, Jesus disse o que ninguém imaginaria, você lembra disso? Talvez o que Jesus faria, pensaria, diria, nunca possamos realmente saber ou imaginar na íntegra, mas temos neurônios suficientes e a ajuda do Espírito Santo para nos dar sabedoria de como agir nos momentos certos, conforme a vontade Deus.

Uma das coisas que mais me assustam hoje em dia nas pessoas que se dizem cristãs, é a falta de discernimento e em muitos casos infelizmente a falta de inteligência. A inteligência é algo que temos por sermos seres humanos, a sabedoria não, essa meus caros leitores e leitoras, só pode vir de Deus. O homem mais sábio que a Bíblia nos fala foi Salomão, cuja sua sabedoria, era provida por Deus.

Como eu disse, eu não sou pastor e meus textos são reflexivos, provocativos da fé que há em cada um de nós, e também não vou ficar enchendo de versículos Bíblicos, pois a ideia é a reflexão intelectual da nossa fé e não criarmos estudos Bíblicos, que já existem milhões espalhados pela internet, devemos conhecer a palavra da verdade que é a palavra de Deus. Portanto meus leitores e leitoras, vamos refletir sobre nossas vidas, nossos atos, nossos pensamentos, nossos sentimentos, e buscar em Deus, na sua palavra o que mais nos falta atualmente: Sabedoria e Discernimento!

Não podemos esquecer que se queremos mudar o país ou o mundo, devemos começar mudando a nós mesmos, para corrigir o que está errado fora, precisamos corrigir o que está errado dentro. Se quisermos mudar o mundo, antes precisaremos mudar a nós mesmos, pois o mundo desde a época de Jesus, sempre foi o resultados de nossas atitudes e formas de viver. Caso contrário, não passamos de meros crentes como se diz popularmente: “pregadores da moral de cuecas”.

Grande abraço à todos!

Música de inspiração: “Eu sou de Cristo” – David Quinlan – escrito em 23/11/15 às 02:08 a.m.

Cabeçalho True Lives 600px

Share Button